25.7.10

Ano Santo Compostelano 2010

O Ano Jubilar Compostelano - também conhecido como Jubileu ou Ano Santo (Jacobeu) - é celebrado desde a Idade Média, por disposição papal, quando o dia do apóstolo Santiago Maior (25 de julho cujos restos mortais se encontram na catedral compostelana, coincide com um Domingo, o que sucede habitualmente cada 6,5,6 e 11 anos. O último celebrou-se em 2004, o actual ano de 2010 é, também um ano jubilar compostelano e o próximo será em 2021 seguido pelos de 2027 de 2032 e de 2038.

O Jubileu Compostelano, que concede desde a sua origem indulgências especiais aos fiéis, estimulou a visita de peregrinos de toda a Europa à catedral de Santiago de Compostela. Esta celebração religiosa tem início da tarde do dia 31 de dezembro anterior ao ínicio do Ano Jubilar e termina no mesmo dia, um ano depois. As cerimónias que assinalam o início e o fim desta celebração são a abertura e o encerramento da Porta Santa, situada na cabeceira da catedral compostelana.

Crédito da imagem: AVALIADORDEARTE


As exigências formais da Igreja para ganhar o Jubileu são muito simples: visitar a catedral de Santiago, onde se encontra o corpo de Santiago e aí rezar pelo menos uma oração. Também é exigida a confissão e comunhão no mesmo dia da peregrinação ou quinze dias antes ou depois desta, mas estes sacramentos podem ser cumpridos em qualquer lugar, e não obrigatóriamente na catedral compostelana.
 

Dia Nacional do Escritor

O dia 25 de julho é um dia dedicado a homenagear o escritor brasileiro, aquele que elabora artigos científicos, pautados em verdades comprovadas, ou textos literários, divididos em vários gêneros.

O surgimento da data se deu a partir da década de 60, através de João Peregrino Júnior e Jorge Amado, quando realizaram o I Festival do Escritor Brasileiro, organizado pela União Brasileira de Escritores, a que os dois eram presidente e vice-presidente, respectivamente. Porém, de alguns anos para cá, as dificuldades dos escritores tem sido muito grandes, principalmente no que diz respeito à publicação de suas obras. Despreocupados com a qualidade dos textos, mas com a quantidade de vendas dos produtos, muitos editores lançam volumes que garantem retorno econômico à empresa.
Além disso, os meios de comunicação virtual publicam na íntegra, gratuitamente, obras de vários autores, sem considerar os respectivos direitos autorais, causando prejuízos aos mesmos.

Em razão do mundo virtual, jovens e crianças têm perdido o contato com os livros, passando grande tempo na frente do computador ou da televisão. Com isso, o acesso ao mundo letrado tem diminuído consideravelmente, e com ele as vendas dos artigos literários.
Ler é importante para o desenvolvimento do raciocínio, para desenvolver o aspecto crítico do leitor, criando novas opiniões e estimulando sua criatividade. Quando lemos, nos reportamos para outros lugares, como se estivéssemos viajando no tempo e no espaço.

As riquezas literárias são muitas, podendo estar divididas em textos científicos, que comprovam as teorias, e textos literários do tipo romance, comédia, suspense, poemas, poesias, biografias, músicas, novelas, obras de arte, literatura de cordel, histórias infantis, histórias em quadrinhos, dentre vários outros.

Pesquisa realizada em 2001, pela Câmara Brasileira da Indústria do Livro, comprovou que cerca de 61% dos adultos alfabetizados do país mantém pouco contato com livros, enquanto que a camada mais baixa da população, cerca de seis milhões e meio de pessoas, alegam não ter condições de adquirir livros.

Hoje em dia o Brasil conta com mais de trinta projetos de incentivo à leitura, bem como de divulgação das bibliotecas públicas do país e seus acervos bibliográficos, sendo o PNLL (Plano Nacional do Livro e Leitura) o mais importante deles. O programa oferece apoio a novos escritores, defende os direitos autorais dos escritores, abona apoio às publicações para novos autores, investem em traduções, mantém premiações e bolsas de incentivo para novos escritores.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola
 Crédito da imagem: Rafa http://www.micamara.es

Não é Sério

Dia Internacional da Mulher Negra Latinoamericana e Caribenha

Em 25 de julho de 1992, durante o I Encontro de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-caribenhas, em Santo Domingo (República Dominicana), definiu-se que este dia seria o marco internacional da luta e resistência da mulher negra. Desde então, vários setores da sociedade têm atuado para consolidar e dar visibilidade a esta data, tendo em conta a condição de opressão de gênero, raça e etnia vivida pelas mulheres negras latino-americanas e caribenhas.
 Crédito da imagem: Bahiatursa 2010

Mozart do Agreste

Mozart do agreste

Mario Osava*

Sua vida vai virar filme. É um herói, fez “um trabalho impressionante, humanista”, em que a música promove a “redenção das pessoas”, justifica o cineasta Paulo Thiago, que planeja começar as filmagens em outubro e já tem o roteiro praticamente pronto. Será uma obra ficcional, mas “baseada em fatos reais”, adiantou o diretor do documentário Coisa mais linda, sobre a bossa-nova, e de Policarpo Quaresma, adaptação do romance de Lima Barreto.

O personagem real é Mozart Vieira, que deu nova vida à pequena cidade de São Caetano, no interior de Pernambuco. A Banda Sinfônica do Agreste, mais conhecida como Meninos de São Caetano, apresenta-se nos melhores teatros do Brasil e de vários países europeus desde a década de 1990. Constitui a parte mais visível de um projeto que tomou forma na Fundação Música e Vida, em cuja sede, um velho casarão, 200 crianças recebem atualmente ensino musical e reforço escolar.

Tudo começou na infância de Mozart, na própria São Caetano. A sensibilidade social e musical herdada do avô e da mãe o levou, ainda menino, a ajudar crianças pobres da periferia “dando-lhes a comida que fazia falta em casa”. Morava perto do cemitério e durante a seca via passar “caixão de anjo” quase todo dia, lembra ele. Um dia, notou que ao tocar violão, aprendido desde os 9 anos, despertava vivo interesse dos meninos pobres, mesmo os alunos mais rebeldes. Decidiu então, intuitivamente, aos 15 anos, em 1978, unir música e trabalho social.

Criou um coral que cantava nas missas, tocava violão nos bairros, arranjou instrumentos e salas emprestadas para aulas. “Desde então, trabalho de domingo a domingo nisso”, vencendo críticas e a descrença inicial na sua “loucura”.

Foi então que sentiu necessidade de estudar música a sério, fez, durante 10 anos, o Conservatório em Recife, a 150 KM. E depois, a faculdade de música em João Pessoa (mais 120 KM de Recife), bacharelando-se em flauta transversa. As longas viagens semanais não interromperam as atividades em São Caetano. Foi aprendendo e ensinando aos meninos, encarregando-se de diversos instrumentos. Sua banda conta apenas com instrumentos de sopro, além das vozes. Segue a tradição local, que é a das bandas de pífanos, explica o maestro, que só agora está fazendo o mestrado em Regência por uma universidade americana – que o obriga a periódicas idas a Recife. A sua preocupação com as raízes culturais do agreste fica patente no repertório dos espetáculos e discos da banda, na sua recusa a convites para estudar ou trabalhar no exterior e até mesmo nos seus estudos tardios. Quis consolidar as raízes antes de freqüentar a academia, explicou.
Fonte: Portal IBASE

Orquestra dos Meninos

Orquestra dos Meninos

24.7.10

Istambul - Turquia

Istambul tem sido e continua a ser um cadinho de culturas e etnias, o que contribuiu para a riqueza cultural, histórica e arquitetónica da cidade, que alberga inúmeras mesquitas, igrejas, sinagogas, palácios e outros edifícios históricos que merecem ser visitados. Por essas razões, em 1985 a UNESCO declarou as Zonas Históricas de Istambul como Patrimônio Mundial.

A parte mais antiga da cidade concentra-se junto ao Corno de Ouro (em turco: Haliç, em grego: Χρυσοκερας (transl.: Khrysokeras ou Chrysoceras), o estuário de uma ribeira e antigo porto natural de Constantinopla. O Corno de Ouro divide o centro histórico em duas partes: Sultanahmet e Eminönü a sul, onde se situava a parte muralhada de Constantinopla, e Beyoğlu/Taksim, a norte, onde as influências ocidentais são mais acentuadas, pois desde a Idade Média e até ao princípio do século XX foi uma zona tradicionalmente ocupada pelas comunidades ocidentais, nomeadamente a veneziana, a genovesa e a francesa, entre muitas outras.


A cidade moderna cidade é muito extensa, compreendo ambos lados (europeu e asiático) do estreito do Bósforo. Entre os seus encantos turísticos encontram-se, no lado europeu, a Basílica de Santa Sofia (da Divina Sabedoria) os bairros de Beyoğlu, Eyüp e Sariyer (este último mais a norte, prolongando-se até ao Mar Negro). No lado asiático destacam-se os distritos de Beykoz (do lado oposto a Sariyer), Üsküdar, Kadıköy (nomeadamente os bairros de Moda e Bostanci) e as Ilhas dos Príncipes (em turco: Prens Adaları, Kızıl Adalar ou simplesmente Adalar), situadas a sudeste de Kadıköy, no Mar de Mármara.

Como capital que foi de dois dos impérios mais poderosos da Terra, e cidade cosmopolita que, no século XVI, era provavelmente a mais civilizada e multicultural do mundo, Istambul abriga monumentos extraordinários: palácios, igrejas e o hipódromo, que datam do período bizantino; as mesquitas de Sultanahmet e Suleymaniye; o Palácio de Topkapı, sede do império otomano, além de muitos outros.

19.7.10

Dia do Futebol

19 de Julho
O nosso famoso grito de GOL é gritado da mesma maneira que nós brasileiros na Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, Espanha, Honduras, Hungria, Itália, Iugoslávia, México, Panamá, Peru, Romênia, Uruguai e Venezuela. Em Portugal diz-se GOLO. GOAL, é gritado na Austrália, Bangladesh, Bélgica, Bulgária, Camarðes, Canadá, Chipre, Coréia do Sul, Eire, Egito, Estados Unidos, Finlândia, Gana, Gró-Bretanha, Grécia, Holanda, Iró, Islândia, Israel, Líbia, Luxemburgo, Nova Zelândia, Polônia, Senegal, Suíça, Tchecoslováquia, Turquia e União Soviética. BUT, é na Argélia, França, Gabão, Mali, Mônaco e Tunísia, e pronuncia-se BI. Na Alemanha e na Áustria diz-se TOR, na Noruega e na Suécia é MAL, e, finalmente, na Dinamarca GOL é MALL, sendo pronunciado MOL.
 Crédito da imagem: dr. motte

19 de Julho dia da Caridade

¨Não atires as jóias cintilantes da sabedoria ao ignorante, mas não te esqueças de oferecer-lhe a benção do alfabeto, para que diminua a miséria espiritual do mundo, desde hoje.¨
Emmanuel - (Reformador - 10/953) [55 - página 28]


17.7.10

Imagens Fantásticas

Proteção Florestal

17 de Julho

Proteção Florestal

Pragas e Doenças

As pragas que representam a maior importância econômica são: as formigas cortadeiras em primeira instância, que ocorrem e devem ser controladas durante toda a fase do projeto; em segunda, no caso de plantios de eucalipto, pode-se considerar os cupins, na fase mais juvenil, e as lagartas, como a Thyrinteina arnobia na fase mais adulta, principalmente.

Outra praga comum e causadora de sérios problemas é causada pelo fungo Puccina psidii Winter (ferrugem do eucalipto). A primeira ocorrência da ferrugem, causando danos, aconteceu no Espírito Santo, nos anos 70, em plantios de Eucalyptus grandis, com idade inferior a dez anos. Além de ocorrer em mudas de viveiro, a ferrugem pode atingir também plantas jovens no campo até os dois anos de idade, reduzindo a produtividade da cultura e podendo levar à morte os indivíduos mais debilitados.

Em relação aos plantios de pinus, o macaco-prego (Cebus apella), vem causando danos consideráveis. O macaco-prego ocorre em praticamente em toda a América do Sul, a leste dos Andes, apresentando uma grande adaptabilidade às condições ambientais e uma grande diversidade comportamental. Tem o hábito de arrancar a casca das árvores para alimentar-se da seiva, que tem sabor doce. Ao romper a casca, a árvore fica sem proteção e a circulação da seiva é interrompida. A árvore fica extremamente debilitada e suscetível ao ataque da vespa-da-madeira, que, em termos de danos econômicos, é uma das principais pragas. Outra praga que vem causando danos é o pulgão (Cinara pinivora e Cinara atlantica) que hoje, ocorre em várias regiões de Santa Catarina, Paraná e São Paulo.

O controle de formigas cortadeiras pode ser desenvolvido como citado anteriormente, e para o controle de lagartas tem se usado muito o lagartecida biológico, que tem como agente a bactéria Bacillus thuringiensis, cujos nomes comerciais são o Dipel e o Bac control.

Incêndios Florestais

Entende-se por incêndio florestal todo fogo sem controle sobre qualquer vegetação, podendo ser provocado pelo homem (intencionalmente ou por negligência), ou por fonte natural (raio).

Anualmente, após as geadas, ocorre a estação seca, por um período crítico que se estende do mês de julho até meados de outubro. Neste período a vegetação torna-se suscetível a incêndios.

Os incêndios florestais, casuais ou propositados, são causadores de grandes prejuízos, tanto no meio ambiente quanto ao próprio homem e a suas atividades econômicas. No período de 1983 a 1988 no Brasil, os incêndios destruíram uma área de 201.262 hectares de reflorestamento, que representa aproximadamente 154 milhões de dólares para o seu replantio, fora o prejuízo direto.

As causas dos incêndios podem variar bastante de região para região. No Brasil, há 8 grupos de causas: raios, queimadas para limpeza, operações florestais, fogos de recreação, o ocasionado por fumantes, por incendiários, estradas de ferro e diversos.

Os incêndios, devido principalmente às condições meteorológicas, não ocorrem com a mesma freqüência durante todos os meses do ano. Pode haver também uma variação das épocas de maior ocorrência de incêndios entre as regiões do país, devido às condições climáticas ou às diferenças nos níveis de atividades agrícolas e florestais. Da mesma maneira, os incêndios não se distribuem uniformemente através das áreas florestais. Existem locais onde a ocorrência de incêndios é mais freqüente, como por exemplo os próximos a vilas de acampamentos, margens de rodovias, estradas de ferro, proximidades de áreas agrícolas e pastagens.

A proteção das florestas, bem como a de povoamentos florestais, torna-se eficiente quando existe um planejamento prévio das atitudes e atividades a serem tomadas ou implementadas nas diferentes situações que podem apresentar. Quanto ao controle de incêndios florestais, o processo preventivo tem se mostrado como o de maior eficiência, através de aceiros manuais e mecânicos, gradagens internas ao povoamento e um bom sistema de vigilância; este, muito praticado entre empresas florestais vizinhas, num sistema de cooperativismo.

Fonte: www.istoeamazonia.com.br
 Crédito da imagem: Schinke

Florestas

16.7.10

Lenine

Dia do Comerciante

Hoje, 16, comemora-se o Dia do Comerciante. A data foi instituída pelo presidente do Senado Federal, João Café Filho, em 26 de outubro de 1953. Uma homenagem ao comércio, comemorada no dia em que nasceu o Visconde de Cayru - José da Silva Lisboa. Figura histórica e político baiano, exerceu grande influência junto ao príncipe regente português D. João VI para que fossem abertos os portos brasileiros para o comércio com as nações amigas, em 1808.
 Crédito da imagem: bacalhaus509 Mr Hermes

15.7.10

Homem com H

Dia internacional do Homem

Neste dia 15 de julho, comemora-se o Dia do Homem no Brasil. Um dos principais objetivos da data é melhorar a saúde masculina. Diferentemente das mulheres que se preocupam com a saúde e sempre procuram o médico, os homens não costumam frequentar os consultórios e uma das principais barreiras é cultural, relacionada com o conceito de masculinidade vigente em nossa sociedade.
Um dos maiores tabus relacionados à saúde masculina é a prevenção do câncer de próstata que, de acordo com o Inca (Instituto Nacional de Câncer), é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens. A pesquisa “Saúde masculina: o homem e o câncer de próstata” encomendada ao Datafolha pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), com o apoio da AstraZeneca, revelou que apenas 18% dos homens entrevistados fizeram o exame para detectar o câncer de próstata por prevenção e 66% respondeu que a esposa, a companheira ou a namorada, é a pessoa que mais influência na procura por um médico para prevenir e tratar a doença.
A mesma pesquisa mostrou que o preconceito ainda é o maior vilão na luta contra o câncer de próstata. Entre os entrevistados, 77% concordam totalmente que “os homens não fazem exame de toque retal por preconceito”.
“Habitualmente, o homem procura o médico após apresentar algum sintoma que o preocupe. O grande problema é que nas fases iniciais o câncer de próstata não apresenta nenhum sintoma, e é neste momento que ele é potencialmente curável. Em contrapartida, quando o tumor torna-se sintomático, na maioria das vezes, já está em estágio mais avançado e as chances de cura são improváveis”, explica o dr. Marcos Dall’Oglio, chefe do departamento de Uro Oncologia da SBU.
Dados do Inca apontam que até o final de 2010 sejam 52.350 novos casos de câncer de próstata no Brasil, e em valores absolutos, é o câncer mais prevalente entre homens no mundo, representando cerca de 10% do total de cânceres.
 Crédito da imagem: Associação Japonesa de Santos (AJS)

14.7.10

"Muito melhor é ousar grande feitos, ganhar gloriosos triunfos, mesmo salpicados de falhas, do que se alinhar com aqueles pobres espíritos que nem se alegram muito nem sofrem muito, porque eles vivem no crepúsculo cinzento que não conhece vitória ou derrota."
(Theodore Roosevelt)

Dia da Liberdade de Pensamento

No dia 14 de julho é comemorado em todo o mundo o Dia da Liberdade de Pensamento. A primeira vez em que foram definidos a liberdade e os direitos fundamentais do Homem foi por meio da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, aprovada pela Assembléia Nacional Constituinte da França em 26 de agosto de 1789. Vale lembrar, ainda, que o dia 14 de julho remete a uma data muito importante na história: a Queda da Bastilha, que marcou o início da Revolução Francesa.

Além de ter servido de inspiração para as constituições francesas de 1848 e para a atual, a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão também foi base da Declaração Universal dos Direitos Humanos, promulgada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 10 de dezembro de 1948. Nela, são enumerados os direitos que todos os seres humanos possuem. Nos artigos XVIII e XIX, por exemplo, estão dispostas as seguintes observações, respectivamente:

“Todo homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular”.

“Todo homem tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras”.


Fonte: ONU e Historianet

13.7.10

Diversidade Humana

A pluridade humana, condição básica da acção e do discurso, tem o duplo aspecto da igualdade e diferença. Se não fossem iguais, os homens seriam incapazes de compreender-se entre si e aos seus antepassados, ou de fazer planos para o futuro e prever as necessidades das gerações vindouras. Se não fossem diferentes, se cada ser humano não diferisse de todos os que existiram, existem ou virão a existir, os homens não precisariam do discurso ou da acção para se fazerem entender. Com simples sinais e sons poderiam comunicar as suas necessidades imediatas e idênticas.

Ser diferente não equivale a ser outro - ou seja, não equivale a possuir essa curiosa qualidade de «alteridade», comum a tudo o que existe e que, para a filosofia medieval, é uma das quatro características básicas e universais que transcendem todas as qualidades particulares. A alteridade é, sem dúvida, um aspecto importante da pluralidade; é a razão pela qual todas as nossas definições são distinções e o motivo pelo qual não podemos dizer o que uma coisa é sem a distinguir de outra.
Na sua forma mais abstracta, a alteridade está apenas presente na mera multiplicação de objectos inorgânicos, ao passo que toda a vida orgânica já exibe variações e diferenças, inclusive entre indivíduos da mesma espécie. Só o homem, porém, é capaz de exprimir essa diferença e distinguir-se; só ele é capaz de se comunicar a si próprio e não apenas comunicar alguma coisa - como sede, fome, afecto, hostilidade ou medo. No homem, a alteridade, que ele tem em comum com tudo o que existe, e a distinção, que ele partilha com tudo o que vive, tornam-se singularidades e a pluralidade humana é a paradoxal pluralidade dos seres singulares.

Hannah Arendt, in 'A Condição Humana'

12.7.10

Florestas

Dia do Engenheiro Florestal

No dia 12 de julho se comemora o dia do Engenheiro Florestal. Ele é o profissional que estuda os ecossistemas e classifica as espécies vegetais, pesquisa sobre melhoramento genético e adaptação das vegetações aos diferentes tipos de ambiente. A Universidade Federal Rural de Pernambuco parabeniza os docentes e discentes da área pela passagem do seu dia.

Após graduar-se, o engenheiro florestal está apto a conciliar a exploração econômica das florestas a sua preservação, assim como a avaliar os danos ambientais, criar projetos de reflorestamento e utilizar os recursos naturais de forma sustentável, garantindo sua perpetuação. O profissional também pode atuar nos processos de industrialização da madeira, atualmente responsável por 4% do Produto interno Bruto (PIB) brasileiro.

O curso de Engenharia Florestal foi criado como uma ferramenta para reparar os prejuízos gerados pelo desmatamento predatório e para contribuir com a regeneração florestas e povoamentos florestais. Na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), os 280 estudantes da graduação contam com uma infra-estrutura avançada, com laboratórios nas áreas de geomática, ecologia, entomologia, anatomia da madeira, biometria e manejo florestal, herbário, dendrologia, análise de sementes florestais, microbiologia e patologia florestal, onde podem realizar as pesquisas e desenvolver as atividades práticas, presentes desde o primeiro semestre do curso.

Também são oferecidas atividades complementares como o programa de monitoria, de Iniciação Científica e o Programa de Educação Tutorial (PET), entre outras. “O curso de Engenharia Florestal da UFRPE é o mais antigo do Nordeste. Com 35 anos de funcionamento, possui um corpo docente formado por 18 funcionários, dos quais nove são doutores e dois P.H.D”, afirma Lúcia de Fátima, coordenadora do curso.

Já o Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais (PPGCF), coordenado pelo professor José Antônio Aleixo, foi criado em 2002 e possui atualmente 21 discentes de mestrado e 27 de doutorado.

Lúcia explica que com o mercado de trabalho em expansão, a maioria dos estudantes já está empregada quando conclui o curso.Instituições públicas de fiscalização ambiental, como o IBAMA e a CPRH, e empresas privadas, na área de consultoria e reflorestamento, constituem um amplo campo de trabalho. “Embora as empresas privadas estejam mais presentes na região Sul/Sudeste, a distribuição de vagas é equilibrada”, conclui a coordenadora. Entre os eventos de grande importância, estão a Semana de Engenharia Florestal e o Congresso Nordestino de Engenharia Florestal (CONEFLOR), criado pela UFRPE, que acontece a cada dois anos.

A entidade representativa máxima dos profissionais de Engenharia Florestal no Brasil é a Sociedade Brasileira de Engenheiros Florestais (SBEF). Ela agrega e representa no nível nacional e internacional as Entidades Estaduais da categoria, unindo a classe para defender seus direitos e os da sociedade, contribuindo para a preservação ambiental. Há também o Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea) e seus órgãos subordinados, os Conselhos Regionais (Crea).

Áreas de Atuação

Silvicultura:Setor ligado ao cultivo de árvores. O profissional pode administrar parques e reservas florestais, gerenciar os processos de exploração consciente, ou seja, com a preservação os recursos naturais, além de planejar recuperar/reduzir áreas degradadas e analisar o aproveitamento sustentável de uma região.

Manejo florestal: Delimita a área a ser desmatada e faz projetos de reflorestamento das espécies arbóreas para aumentar sua produtividade. Pesquisa as sementes, o melhoramento genético da vegetação e sua adaptação a diferentes tipos de solo e clima.Também realiza inventários florestais e participa da formulação de políticas ambientais.

Tecnologia de produtos florestais: Desenvolve tecnologias para o aproveitamento, a extração e a industrialização de madeiras, óleos e resinas.

Perfil do profissional

Para ser um engenheiro florestal, é essencial o interesse pelo meio ambiente e por tecnologias, além de conhecimento nas áreas de geologia, botânica e políticas florestais. Não há um perfil específico para o profissional, já que ele pode optar por trabalhar em diversas áreas como fiscalização ambiental, manejo florestal, silvicultura, assessoria, consultoria ou seguir carreira acadêmica.

11.7.10

Diversidade

Diversidade

Dia Mundial da População

O Dia Mundial da População é comemorado em 11 de julho para que se recorde que, nesta data, em 1987, a população mundial atingiu os cinco bilhões de pessoas. Antes mesmo do ano 2000, a Terra já contava com seis bilhões de habitantes. Este dado aumenta anualmente em 75 milhões, sendo que metade da população do planeta tem menos de 25 anos de idade.

Jovens entre 15 e 24 anos somam um bilhão, o que significa dizer que existem 17 jovens em cada grupo de 100 pessoas, mas o número de pessoas com mais de 60 anos, por sua vez, chega a 646 milhões, numa proporção de uma em cada dez. Esse número ainda é acrescido todo ano em mais de 11 milhões, o que caracteriza um envelhecimento da população mundial. Conforme estimativas da Organização das Nações Unidas (ONU) para o ano de 2050, a porcentagem de jovens abaixo dos 15 anos de idade deve diminuir de 30% para 20%, enquanto a quantidade de idosos deve atingir 22%, alcançando um total de dois bilhões de pessoas com idade avançada.

Fonte: IBGE Teen

Em cada
indivíduo, em
cada povo, em
cada cultura, em
cada credo, existe
algo que é relevante
para os demais, por
mais diferentes que
sejam entre si. Enquanto
cada grupo pretender
ser o dono exclusivo
da verdade, o ideal da
fraternidade universal
permanecerá
inatingível.

Judaísmo
Declaração universal
dos direitos humanos

Art. XVIII
Toda pessoa tem o direito
à liberdade de pensamento,
consciência e religião; este
direito inclui a liberdade de
mudar de religião ou crença
e a liberdade de manifestar
essa religião ou crença, pelo
ensino, pela prática, pelo culto
e pela observância, isolada
ou coletivamente, em público
ou em particular.”
“Ninguém nasce odiando
outra pessoa pela cor de sua
pele, por sua origem
ou ainda por sua religião.
Para odiar, as pessoas
precisam aprender;
e, se podem aprender
a odiar, podem ser
ensinadas a amar.”
(Nelson Mandela)
" A adversidade desperta em nós capacidades que, em circunstâncias favoráveis, teriam ficado adormecidas. "
(Horácio)

Diversidade

9.7.10

09 de Julho MMDC

Em 9 de julho de 1932, rebentou a Revolução Paulista. São Paulo já possuía um governante civil e paulista, de modo que a grande reivindicação era a constitucionalização do país.
O Estado do café se levantou contra a Revolução de 30 e os políticos paulistas, sobretudo os dirigentes do PRP (Partido Republicano Paulista), não se conformaram com a vitória da Revolução. A nomeação de um interventor em São Paulo, propiciou-lhes motivos para o desencadeamento de uma grande propaganda contra o governo federal, na qual se destacavam lemas bem elucidativos: "São Paulo conquistado!", "São Paulo dominado por gente estranha!", "Convocação imediata da Constituinte!", "Tudo pela Constituição!"

Embora o interventor, sentindo dificuldades para administrar o Estado, tivesse pedido demissão, a onda de descontentamento e agitação prosseguiu. Na noite de 23 de maio de 1932, um grupo de populares tentou invadir a sede do partido favorável a Getúlio Vargas, na Praça da República. Houve resistência e o resultado foi desastroso, com cinco vítimas fatais: Martins, Miragaia, Drauzio, Camargo e Alvarenga, que veio a falecer meses depois.

Foi assim que, em 9 de julho de 1932, rebentou a Revolução Paulista. São Paulo já possuía um governante civil e paulista, de modo que a grande reivindicação era a constitucionalização do país. Mas o Estado paulista ficou só, não houve adesão das outras oligarquias dos demais Estados.

Em 1932, dos 7 milhões de habitantes de São Paulo, mais da metade era de origem italiana. Para eles, a luta era em defesa da unidade nacional. Com argumento desse tipo, os interventores conseguiram grande número de voluntários para lutar contra os paulistas.




Isso, contudo, não bastou. De todos os lados, as forças paulistas eram assediadas pelas tropas do governo federal. Para completar o cerco, a esquadra bloqueou o litoral. E para não reconhecer a derrota antes do tempo, a ordem do comando revolucionário era "durar", isto é, resistir a qualquer preço. A esperança de adesão dos outros Estados se dissipou, totalmente, com a prisão dos líderes gaúcho e mineiro, ambos partidários do levante paulista.

A capitulação se deu a 1º de outubro 1932. Cerca de 135 mil paulistas lutaram, incansavelmente, por três meses. No dia 2 de outubro daquele ano, sem armas, sem munição e sem o apoio de outros Estados, São Paulo foi obrigado a se render às forças de Vargas.

Os principais chefes da revolução foram detidos e obrigados a se exilar na Europa, assim, não poderiam concorrer as eleições nem votar. Getúlio vence a Revolução, mas, mesmo assim, o governo percebe que era difícil governar sem as oligarquias paulistas. Para não perder o poder, Vargas decide nomear a comissão de constitucionalização. Em 25 de julho, ordenou o alistamento eleitoral e, depois, convocou a assembléia constituinte.

Em 1997, o governador de São Paulo, decretou o dia 9 de julho, feriado estadual para homenagear o "Dia do Soldado Constitucionalista". O obelisco do Ibirapuera é uma homenagem a Martins, Miragaia, Drauzio e Camargo, mortos no dia 23 de maio. O obelisco simboliza uma espada fincada, ferindo o coração (simbolizado pela praça) do Estado de São Paulo.

Por isso, 23 de Maio é o "Dia da Juventude Constitucionalista", para lembrar a memória desses estudantes vítimas da repressão, simbolizados pela sigla: MMDC (iniciais dos quatro nomes). Se você consultar essa data comemorativa vai obter mais informações sobre este assunto.

8.7.10

Diversidade

Dia do Padeiro (ou Dia do panificador)

8 de julho



A profissão de padeiro tem um significado maior do que a simples feitura de pães, doces ou bolos. A história do pão e, conseqüentemente, a do padeiro, permeia toda a história da humanidade, principalmente no âmbito religioso.
O pão se tornou o símbolo da vida, alimento do corpo e da alma. Até hoje simboliza a fé, na missa católica, pois a hóstia consagrada representa o corpo de Cristo.

O pão faz parte da alimentação humana há milhares de anos a.C., quando ainda era feito com o fruto do carvalho triturado, lavado com água fervente para perder o amargor e posto a secar ao sol.

A utilização de farinhas na feitura do pão veio bem depois, visto que era usada apenas em sopas e mingaus. Mais tarde, à farinha foram adicionados outros ingredientes: mel, azeite doce, mosto e ovos, formando uma espécie de bolo que teria sido o antepassado do pão atual.

Os egípcios foram os primeiros povos que utilizaram fornos para assar pães. É também atribuído a eles o acréscimo de um líquido fermentado à massa para deixá-la mais macia e leve.
O Brasil conheceu o pão apenas no século XIX, conforme o sociólogo e antropólogo Gilberto Freyre. Antes disso, consumia-se o beiju.

A atividade panificadora no Brasil se expandiu com os imigrantes italianos. Nas grandes cidades proliferaram as padarias, muito conhecidas na cidade de São Paulo, mais especificamente no bairro do Bexiga, onde ainda são fabricados pães típicos italianos.

A história da padroeira dos panificadores, santa Isabel, vem de Portugal. Conta-se que em 1333, em Portugal, houve uma fome terrível; nem os ricos foram poupados. D. Isabel, uma rainha muito virtuosa, casada com o rei D. Diniz, empenhou suas jóias e mandou vir trigo de lugares distantes para abastecer o celeiro real, mantendo, dessa forma, seu costume de distribuir pães aos pobres durante as crises. Sua caridade, porém era anônima; nem o rei sabia dessa atividade. Num desses dias de distribuição, o rei apareceu, inesperadamente, e a rainha, temendo a censura do marido, escondeu os pães nas dobras do avental. O rei percebeu o gesto e perguntou, surpreso:
- Que tendes em vosso avental?
A rainha, erguendo o pensamento ao Senhor, disse em voz trêmula:
- São rosas, senhor.
O rei replicou:
- Rosas em janeiro? Deixai que eu as veja e aspire seu perfume.
Santa Isabel abriu o avental e, no chão, para espanto geral, caíram rosas frescas, perfumadas, as mais belas até então vistas.

D. Diniz não se conteve e beijou as mãos da esposa, retirando-se enquanto os pobres gritavam: "Milagre, milagre !".
Por essa razão, o Dia do Padeiro (ou panificador) é comemorado no mesmo dia de santa Isabel.

Projeto Escola sem Partido é arquivado no Senado   *Projeto que visava coibir a liberdade intelectual e de ensino de docentes...