20.1.11

Universidade de Harvard e USP estudarão efeitos da poluição na atmosfera amazônica

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCT) reuniu, na segunda-feira, 17 de janeiro, especialistas da Universidade de São Paulo (USP) e de Harvard (EUA) para definir os próximos passos do projeto “Medições de Radiação Atmosférica (ARN em inglês).  A finalidade é estudar de que forma a poluição proveniente de Manaus interfere em áreas preservadas que estão de certa maneira próximas à capital.
“A ciência ainda não consegue entender a interação das emissões de grandes centros urbanos tropicais como Manaus com as emissões da floresta.  A ideia é estudar essa interação em detalhe”, destacou o físico da USP Paulo Artaxo.
O projeto, que deve estar em pleno funcionamento em 2014, vai ser feito nas proximidades de Manacapuru, interior do Amazonas, onde funcionará com equipamentos distribuídos em uma área de aproximadamente 100 m².
“A maior parte fica concentrada em cinco containeres, mas algumas antenas e uma torre meteorológica (aproximadamente de 10 metros de altura) acompanham o pacote”, declarou Antônio Manzi, pesquisador do Inpa que também está envolvido nas atividades.
Mão dupla
Segundo o professor da Universidade de Harvard e coordenador do projeto, Scot Martin, o projeto já passou por vários países.  “Esses equipamentos foram feitos para viajar.  Países como China e Índia já participaram das pesquisas”, declarou.
Para a gerente operacional do projeto de Larga Escala da Biosfera Atmosfera da Amazônia (LBA), Hilândia Brandão, a parceria bilateral vai trazer aos cientistas brasileiros o acesso aos equipamentos.  “Além da complementação dos estudos do LBA, essa parceria vai trazer os equipamentos que só vão somar aos estudos”, disse.
(EcoD)
Fonte: Mercado Ético
Link: http://mercadoetico.terra.com.br/

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário