5.1.11

WORKSHOP SOBRE A PESCA PROFISSIONAL NA REPRESA BILLINGS APRESENTA RESULTADOS DE PESQUISA CIENTÍFICA

Lídia Sumile Maruyama, lidiamaruyama@gmail.com, pesquisadora do Instituto de Pesca, 5 de janeiro de 2011


O primeiro contato do Instituto de Pesca com pescadores profissionais da Represa Billings ocorreu no final do ano de 2003. Em 2004, a convite do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), os pesquisadores ministraram aulas relacionadas a pesca, biologia das espécies, qualidade da água e do pescado e agregação de valores ao produto. Na ocasião, constatou-se um significativo contingente de pescadores atuantes, cuja maioria não possuía cadastro ou registro de pescador profissional, e uma carência de estudos relacionados à pesca profissional na região.

Diante disso, o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Recursos Hídricos do Instituto de Pesca iniciou um projeto de pesquisa destinado a mapear os locais de pesca e desembarque e o número de pescadores atuantes em cada área. Caracterizou-se a pesca e o perfil sócio-econômico da comunidade, implantando-se a seguir um sistema de coleta de dados pesqueiros, a partir da entrega de fichas mensais com informações diárias de captura em kg/dia e espécie nos anos de 2005 a 2008.

No decorrer do projeto, além dos estudos, a equipe de trabalho organizou encontros que possibilitaram repassar informações como: aposentaria, pelos funcionários do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social); financiamentos do PRONAF (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), pelo Banco do Brasil; e cadastro dos pescadores, pela SEAP (Secretaria Estadual de Aquicultura e Pesca), hoje Ministério da Pesca e Aquicultura, que emitiu o registro profissional aos pescadores cadastrados. Incentivou-se ainda a criação da Capatazia de Pescadores Z1, localizada em Riacho Grande (São Bernardo do Campo), presidida por uma pescadora da região e na qual, atualmente, estão cadastrados cerca de 200 pescadores profissionais.

Parte dos resultados do projeto foi apresentada na dissertação de mestrado de Maria Eugênia Porto Alves da Silva, do Programa de Pós-graduação do Instituto de Pesca, concluída em 2007 e orientada pela pesquisadora e coordenadora do projeto Paula Maria Gênova de Castro, sob o título “Pescarias de pequena escala no reservatório Billings (Alto Tietê, SP) nos anos de 2005 a 2007”.

O “Workshop sobre a pesca profissional na represa Billings, SP: resultados de pesquisa dos anos de 2005 a 2008”, realizado em novembro de 2010, sob a coordenação das pesquisadoras Lídia Maruyama e Paula Gênova, teve como objetivo apresentar os resultados do projeto à comunidade de pescadores da região e também devolver as fichas de produção por eles preenchidas e vistadas pela equipe, juntamente com um certificado de participação no projeto. Segundo os pescadores, o certificado e as fichas vistadas são importantes comprovantes de trabalho e poderão ser utilizadas inclusive na aposentadoria.

O Workshop foi apresentado em três núcleos de pesca da Billings: Bororé, Barragem e Riacho Grande, nos dias 11, 12 e 27 de novembro de 2010, respectivamente. Além dos resultados do trabalho científico, pesquisadores do Instituto ministraram palestras relacionadas aos direitos e deveres do pescador profissional e à higiene durante a manipulação do pescado.

A equipe de trabalho pretende dar continuidade ao levantamento da produção pesqueira da Billings a partir de novos projetos que estão em fase de elaboração.

O Instituto de Pesca pertence à APTA (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

Fonte:www.pesca.sp.gov.br
________________
Revisão do texto: Márcia Navarro Cipólli, navarro98@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário