11.2.11

Religião

Campanha Contra a Intolerância Religiosa ganha força em todo o país

Campanha Nacional Contra a Intolerância Religiosa - Reju
Lançamento da Campanha pela Reju em São Paulo


Jovens da Reju Sul reuniram-se para o lançamento da Campanha na região
Na Paraíba, jovens da Reju NE também participam da Campanha Nacional Contra a Intolerância Religiosa



No dia 21 de janeiro, a Rede Ecumênica de Juventude – Reju, lançou nas cinco regiões do Brasil, uma Campanha Nacional Contra a Intolerância Religiosa. A campanha se estenderá por todo o ano de 2011. De acordo com Daniel Souza, facilitador da Reju em São Paulo, a intenção da campanha é promover uma discussão sobre o tema entre as distintas confissões religiosas e estimular a prática da convivência ecumênica”.

Reju Sul participa da Campanha Nacional de Combate à Intolerância Religiosa
A partir do dia 21 de janeiro de 2011, juventudes de todo o Brasil se unem para refletir sobre uma triste prática: a Intolerância Religiosa, que assola a nossa realidade.
Em Teutônia, RS, na “Chácara Shallom” acolhidos por membros da comunidade Luterana, jovens católicos e suas famílias, reuniram-se em celebração para lembrar a data enfatizando em sua mística, os símbolos e os conceitos de credos diversos.
Conforme cita o trecho “O vento sopra onde quer, ouvimos a sua voz, mas não sabemos de onde vem, nem para onde vai ...” (João 3, 8). O chamado missionário nos eleva, ao praticarmos e darmos o testemunho do bem; um bem maior: o amor.
Respeitamos de forma diversa, o Sagrado, manifestado na rica cultura de nossas crenças, enraizadas na identidade do povo brasileiro. Centrados na figura de Jesus Cristo, que salva a humanidade sem distinção, estamos diante de um convite simples, porém complexo à ação humana: encontrar a liberdade através da Fé.
Em um mundo racionalizado e relativo, ser jovem, em pleno século XXI convicto de um credo e manifestar a alegria do viver em comunidade é um desafio. Automaticamente estamos contra uma proposta individualista e egocêntrica imposta e assumida. É fácil não se importar com os outros.
Mas cuidado: também é fácil tornar-se escravo de relações artificiais, promovidas através do mundo virtual, ou outros tantos vícios, tantas fugas. É muito fácil ser infeliz.
Como jovens, que assumem uma prática ecumênica, não temos a pretensão alguma de ditar um só modo, um só estilo de vida. Pelo contrário, gostamos do que é diferente, do que contraria, questiona e nos motiva a pensar. Pois, uma nova ideia desacomoda, transforma, e, com esforço conjunto torna-se realidade. É na união deste pensar, no aceitar, no tolerar o irmão e a irmã - o que não fere, mas fortalece nossa própria identidade - que transmitimos o que a juventude possui de mais precioso: a alegria, a sinceridade da Fé.
Informações de Edoard S. Scherer - Facilitadora Reju - Sul

Lançada em São Paulo a “Campanha Nacional Contra a Intolerância Religiosa”
No último dia 23 de janeiro foi lançada em São Paulo a Campanha Nacional Contra a Intolerância Religiosa promovida pela Rede Ecumênica da Juventude (Reju). Aproveitando a proximidade com o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, comemorado no dia 21 de janeiro, no domingo pela manhã jovens de diversas denominações religiosas se reuniram na Paróquia Anglicana da Santíssima Trindade em uma celebração junto com a comunidade local.
Durante a celebração litúrgica, os jovens trouxeram à memória a história de intolerância religiosa sofrida por mãe Gilda, que marca a comemoração deste dia. Daniel Souza, facilitador da Reju em São Paulo, falou sobre a importância da convivência ecumênica e da atuação dos jovens na luta pelos direitos e pela justiça social no Brasil. Além disso, explicou alguns dos objetivos da Campanha, como o de promover discussões em diferentes confissões religiosas sobre o tema durante todo o ano.
Neste tempo também foram distribuídos cartões com o versículo bíblico norteador da Campanha: “O vento sopra onde quer, ouvimos a sua voz, mas não sabemos de onde vem, nem para onde vai...” (João 3.8), como lembrança para o compromisso com a causa, e cartilhas confeccionadas pela Defensoria Pública do Estado de São Paulo, que contêm diversas informações sobre as leis e a liberdade religiosa no Brasil. 
A cartilha encontra-se disponível através do link: http://www.defensoria.sp.gov.br/dpesp/repositorio/0/folder%20religiosa.pdf.
Para conhecimento do caso “mãe Gilda” leiam o texto de Jussara Rego disponível no link: http://www.koinonia.org.br/tpdigital/detalhes.asp?cod_artigo=256&cod_boletim=14&tipo=Artigo
Fonte: Notícia produzida pela Rede Ecumênica de Juventude.

Lançamento da Campanha Nacional Contra a Intolerância Religiosa na Paraíba - Reju NE
Dia 29 de janeiro foi lançada, em Serra Redonda, município da Paraíba, a Campanha Nacional Contra a Intolerância Religiosa, promovida pela Reju NE – Rede Ecumênica da Juventude.
Na ocasião, estávamos compartilhando verdadeiramente o ecumenismo, pois acreditamos que, a união é importante para que se possa sobreviver à intolerância religiosa, agindo seguindo as palavras de Leonardo Boff, “Como as religiões podem ser fontes de valores e de motivações para a paz entre os povos, é importante favorecer o diálogo entre elas”.
Para favorecer este diálogo, foi promovido um momento da oração, onde a facilitadora da Reju-NE, Iris Charlene, falou sobre o lançamento da Campanha, convidando a todos(as) a firmarem o compromisso de promoverem discussões sobre a intolerância religiosa, em diferentes confissões, em suas comunidades, até porque, a Fundação Dom José Maria Pires (PB), tem perfil católico, porém, tem em seu corpo administrativo, uma equipe composta por Católicos, Evangélicos e Espíritas, que comungam dos mesmos objetivos, respeito e amor.
Duas dinâmicas também fizeram parte da celebração, envolvendo todos os presentes.
Finalizando o momento de oração e a roda de diálogo, as alunas do Quilombo Pedra D’Água, dançaram a música... “Olha a glória de Deus brilhando, aleluia (bis) /Nosso Deus é o artista do universo, é a fonte da luz, do ar e da cor, é o som, é a música, á a dança, é o mar, jangadeiro e pescador. É o seio materno sempre fértil, é beleza, é pureza, e é calor. Aleluia, aleluia, vamos criar, que é pra glória de Deus brilhar! / Nosso Deus é caminho é caminhada, de seu povo para a libertação. Onde quer que esteja um oprimido, é Javé que promove a redenção. Ele quebra a força do tirano e garante a vitória da união. Aleluia, aleluia, vamos lutar que é para a glória de Deus brilhar...”
Informações de Iris Charlene - Facilitadora da REJU NE
Contexto
O dia 21 de janeiro foi oficializado como Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa por meio da Lei nº 11.635, de 27 de dezembro de 2007. A lei e a data foram motivadas por um episódio de intolerância religiosa ocorrido na Bahia.
Em 1999, uma foto publicada na revista Veja no ano de 1992 foi utilizada pelo Jornal Folha Universal para desprestigiar a imagem da mãe de santo Mãe Gilda. A foto presente na Folha Universal mostrava a imagem de Mãe Gilda com uma tarja preta nos olhos e a frase: Macumbeiros charlatões lesam bolso e vida de cliente”.
Pouco tempo após o ocorrido, no ano 2000, Mãe Gilda faleceu. Os filhos e marido da mãe de santo entraram na justiça contra a Igreja Universal que, em agosto de 2009, foi condenada a pagar R$145,2 mil de indenização.
Para mais informações, acesse: http://www.redeecumenicadajuventude.org.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nº 22.433 - "Definitivamente, Temer, não!, por Luís Nassif"

   em ContrapontoPIG    *.* *07/10/2017* *Definitivamente, Temer, não!, por Luís Nassif* *O Jornal de todos Brasis* Do Jornal GGN - ...