27.4.11

As abelhas sumiram!

Primeiro, as abelhas começaram a desaparecer nos Estados Unidos, depois no Canadá e, então, no Brasil. “Nós, em Santa Catarina, tivemos um problema muito sério na primavera passada. Álias, esse problema tem se agravado muito e sempre nesta mesma épóca do ano”, explica o professor Afonso Inácio Orth, um dos principais especialistas em abelhas do país e que tem acompanhado os estudos que buscam respostas para o desaparecimento dos insetos desde que este problema foi detectado. “O primeiro grande risco é a fragilização da produção mundial de alimentos, principalmente pelo fato de nós dependermos quase que exclusivamente das abelhas. Além disso, um risco secundário, mas não menos importante, é o de afetarmos toda a ecologia local, porque essas abelhas também acabam polinizando as plantas nativas e, a partir do momento em que você elimina os polinizadores, essas plantas nativas deixarão de se reproduzir e, com isto, nós poderemos estar alterando profundamente os ecossistemas”, apontou na entrevista que concedeu à IHU On-Line por telefone.
Afonso Inácio Orth é graduado em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Catarina, mestre em Entomologia pela Universidade Federal do Paraná e doutor em Biologia pela University of Miami (EUA). Atualmente, é professor no Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Catarina.
Confira a entrevista: mercadoetico.terra.com.br/arquivo/as-abelhas-sumiram/
Fonte:mercadoetico.terra.com.br

Crédito da imagem:xadoc_dna

Um comentário:

  1. 1. Pedimos consultar o link (http://rounielo.blogspot.com/2011/05/parte-01-informacoes-cientificas-sobre.html - “Parte 01 - Como Destruir Todos os Vírus da Face do Planeta Terra, Inclusive o Vírus da AIDS”, e as outras quatro partes, que tratam sobre "COMO DESTRUIR TODOS OS VÍRUS DA FACE DO PLANETA TERRA, BEM COMO O QUE ATACA AS ABELHAS, em função de identificar “Causa Desconhecida” que alterou a estrutura dos vírus, no Planeta Terra, levando ao extermínio, em massa, das abelhas, essenciais à sobrevivência dos homens, plantas e animais, na face da Terra.

    2. O que o mundo ainda não sabe é que os vírus possuem estrutura molecular eletro-magnética extremamente flexível e mutável, razão pela qual são muito adaptáveis em relação às mudanças ambientais. DEMONSTRAMOS, NO ESTUDO CITADO NO ITEM ANTERIOR, O FUNCIONAMENTO DA ESTRUTURA MOLECULAR ELETRO-MAGNÉTICA DOS VÍRUS, BEM COMO DESCREVEMOS OS CONCEITOS TÉCNICOS-CIENTÍFICOS PARA DESTRUÍ-LOS.

    3. Em função de vários fatores como, por exemplo, uso indiscriminado de agrotóxicos, mas PRINCIPALMENTE EM FUNÇÃO DO AQUECIMENTO GLOBAL, os vírus, que sempre existiram na natureza, agora passaram a serem mais AMPLAMENTE DESTRUTIVOS de espécies que sempre atacaram, pois o aquecimento global eleva a sua atividade energética e, conseqüentemente, eletro-magnética (o calor aumenta a energia dos corpos físicos), fazendo com que, em função de mais energia, os vírus sejam mais amplamente destrutivos de espécies que sempre atacaram dentro de um âmbito de equilíbrio que, infelizmente, foi rompido.

    ResponderExcluir

Nº 22.433 - "Definitivamente, Temer, não!, por Luís Nassif"

   em ContrapontoPIG    *.* *07/10/2017* *Definitivamente, Temer, não!, por Luís Nassif* *O Jornal de todos Brasis* Do Jornal GGN - ...