7.5.11

Dia do Silêncio - 07 de Maio no Brasil

Nos EUA, no próximo dia 26 de abril, será comemorado o décimo ano do dia do silêncio, um protesto silencioso contra a discriminação de homossexuais. O grupo de estudantes USSA (semelhante a UNE) e a GLSEN, uma organização de educação com membros gays, organizaram a data. Tudo começou na Universidade da Virgínia onde 150 estudantes criaram o protesto em 1996. Hoje, o movimento nacional incentiva os alunos de todas as idades a apoiarem a causa. Para participar do dia basta permanecer em silêncio absoluto durante as aulas. Em 2004, 200 mil alunos de 2 mil escolas aderiram ao protesto. Este ano espera-se a participação de meio milhão de alunos, de 4 mil escolas americanas.

A perseguição de alunos homossexuais e transexuais, os altos índices de suicídio juvenil, abandono dos estudos e reclamações de um ambiente escolar hostil são as principais razões do desenvolvimento do projeto. Segundo pesquisa organizada pela GLSEN, em 2003, 4 de cada 5 estudantes GLBT afirmaram já terem sido vítimas de maus tratos verbais, físicos ou sexuais em razão da sua homossexualidade. Mais de 30% afirmaram ter faltado ao menos a um dia de aula no último mês por medo de sofrer alguma agressão.

No Brasil, a realidade não é diferente. O suicídio de adolescentes meninos em razão da sexualidade é o segundo motivo de causa, segundo a Unesco, perdendo apenas para as drogas. Em pesquisa da Unesco sobre sexualidade, feita em 2001, 33% dos meninos afirmaram que não gostariam de ter um aluno gay na mesma sala que eles. O índice chegou a 45% em algumas cidades. No DF, 6% dos professores afirmaram que não gostariam de ter um aluno homossexual em sua sala.

Para os idealizadores do Dia do Silêncio, a data é um tributo para as vítimas do preconceito que já não podem mais falar. As vítimas do holocausto, do preconceito nas escolas, nas famílias e a intolerância religiosa são comumente recordadas. Eventos paralelos promovem palestras, debates, resgate histórico e treinamentos estratégicos.

Mas porque um protesto mudo? É que o silêncio perturbador cala a irracionalidade da homofobia. Com o lema “O que você fará para acabar com o silêncio?” pretende-se conscientizar da necessidade de quebrar o silêncio para criar escolas mais seguras.
Fonte:www.revistaladoa.com.br 

Crédito da imagem: davi sommerfeld

Nenhum comentário:

Postar um comentário