30.6.11

Exposição fotográfica, mostra de filmes e debates celebram cinquentenário do Parque Indígena do Xingu

A Cinemateca Brasileira, em Sâo Paulo, abre suas portas nesta sexta-feira, 1º de julho, para receber uma exposição de fotos, uma mostra de filmes e um ciclo de debates sobre o passado, o presente e sustentabilidade futura de uma terra indígena que representa uma ilha verde de diversidade socioambiental no coração do Brasil. Lideranças indígenas, antropólogos, médicos e indigenistas participarão dos debates.
ISA, Inês Zanchetta.
Leia mais em:www.socioambiental.org



 

Cachoeira do Jericoá, Volta Grande do Xingu, índio xipaia
Crédito: Verena Glass
Crédito da imagem: Xingu Vivo Para Sempre

ONU aprova resolução mundial sobre Direitos Homossexuais



O Conselho de Direitos Humanos da ONU aprovou resolução destinada a promover a igualdade de cidadãos de todo mundo, sem distinção da orientação sexual.

A votação foi apertada com 23 votos a favor, 19 contra e três abstenções. Brasil, Argentina, Coreia do Sul e outros países ocidentais votaram a favor, países islâmicos, africanos e a Rússia contra.

A resolução, apresentada pela África do Sul, afirma que "todos os seres humanos nascem livres e iguais no que diz respeito a sua dignidade e seus direitos e que cada um pode se beneficiar do conjunto de direitos e liberdades sem nenhuma distinção de orientação sexual" e recomenda que seja realizado um estudo sobre as leis discriminatórias e as violências contra as pessoas por sua orientação ou atribuição sexual.

O representante da Nigéria, Ositadinma Anaedu, acusou a África do Sul de ter "rompido a tradição do grupo africano" de buscar um consenso antes da votação de uma resolução. "Uma lástima porque a África do Sul é o pilar da África".

O representante da África do Sul, Jerry Matthews Matjila, afirmou que "ninguém deve ser submetido a discriminação ou violência por causa da orientação sexual" e que a resolução não busca impor valores aos países e sim iniciar um diálogo sobre o tema.

"É um avanço. É a primeira vez na ONU que se aprova um texto tão forte sob a forma de uma resolução, e deste alcance. Não se trata de impor valores ou um modelo e sim de evitar que as pessoas sejam vítimas de discriminação ou violência por sua orientação sexual", afirmou o embaixador francês Jean-Baptiste Mattei.

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, considerou que a resolução é histórica e afirma que “os direitos humanos são universais. Os indivíduos não podem ser deixados sem proteção em razão de sua orientação ou identidade sexual".

Segundo a Anistia Internacional, a Homossexualidade continua sendo punida e indivíduos Homossexuais perseguidos em 76 países.

Cidade do Saber inaugura museu em Camaçari (BA)

CidadedoSaber
  Será na próxima quarta-feira, 29 de junho, às 17h, a inauguração do Unica – Universo da Criança e do Adolescente, um museu de ciência e tecnologia integrado à Cidade do Saber (CDS), em Camaçari (BA).
Instalado no segundo andar da CDS, o Museu ocupa uma área de 300m2, onde estão abrigados cerca de 40 diferentes experimentos, divididos pelos setores de Eletricidade e Magnetismo; Óptica e Ondas; e Mecânica e Energia, além de mais de 50 jogos matemáticos e quadros de ilusão de óptica.
Mesmo antes da inauguração oficial, o espaço já recebe, em caráter experimental, a visita de grupos escolares da região Metropolitana de Salvador e, desde maio deste ano, integra o Programa de Iniciação Científica da Secretaria de Educação de Camaçari (Seduc).
O Museu tem capacidade de atendimento de 45 alunos por turno. A estimativa é de que, no segundo semestre deste ano, sejam registradas sete mil visitas, por meio do Programa de Iniciação Científica da Seduc em parceria com a Cidade do Saber.
O Universo da Criança e do Adolescente, na Cidade do Saber (CDS) é um espaço em que os segredos da ciência são desvendados de forma interativa, com foco no público infanto-juvenil, direcionado para a promoção e democratização do acesso à cultura científica. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (71) 3644-2095 ou pelo site www.cidadedosaber.org.br

29.6.11

Pavão Misterioso

Meio Ambiente_Açúcar Sustentável

Brasil já produz cana de açúcar certificada com padrão de qualidade ambiental.  Fábrica baseada em São Paulo tem produção certificada pela Bonsucro.


Crédito da imagem: irodman

OAB lança uma campanha de combate à homofobia



A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Seção de São Paulo lançou neste mês de junho a campanha “Homofobia mata”, com o importante objetivo de combater o preconceito e a intolerância contra Homossexuais.

A principal peça da campanha é um cartaz que destaca o tema na forma de uma pichação feita em vermelho cor de sangue.

Ao fundo da mesma imagem, estão escritas palavras que remetem à violência a que ainda são submetidos os Homossexuais, como desrespeito, intolerância, preconceito, ódio, opressão, repulsa e covardia. O cartaz também destaca um dos motes das campanhas promovidas pela OAB: “A violência tem que ter fim. A vida não”.

De acordo com o presidente da Ordem em São Paulo, Luiz Flávio Borges D’Urso, o respeito às diferenças e à dignidade é bandeira da OAB-SP nesta campanha.

Os cartazes da campanha contra a homofobia serão distribuídos pelas representações da OAB em todo o Estado de São Paulo, além de serem enviados a escolas, órgãos públicos, empresas e entidades interessadas em divulgar a mensagem. A campanha inclui ainda um filme para TV de 15 segundos, peças para a Internet e para rádio.
Fonte:centraldenoticiasgays.blogspot.com

28.6.11

Garantido é o campeão do Festival de Parintins 2011

Local: Manaus - AM
Fonte: A Crítica
Link: http://www.acritica.com.br/



A apuração começou por volta das 14h15 desta tarde de segunda-feira (27), na sala de imprensa da Agecom – espaço dentro do bumbódromo
Com o tema “Miscigenação” o boi Garantido é o campeão do Festival Folclórico de Parintins 2011.  Com 1.258,8 dos pontos o bumbá superou o rival que ficou com 1.258,6 pontos.  Dois décimo deu a vitória para o boi vermelho.
A apuração começou por volta das 14h15 desta tarde de segunda-feira (27), na sala de imprensa da Agecom – espaço dentro do bumbódromo.  O presidente da comissão do juri Valden Luiz Furtado Bezerra foi quem conduziu a contagem dos votos.
Na parcial da primeira (24) noite, Caprichoso ficou com 419.4 e Garantido com 419.0 dos votos.  No segundo dia de apresentação (25), Caprichoso ficou com 419.6 e Garantido 419.9. Na terceira e última noite Caprichoso ficou com 419,7 e Garantido com 419,6.
Durante a apuração, um dos votos da jurada Josefina Gonçalves, do Estado do Piauí causou um momento de tensão no local.  Um dos fiscais do Caprichoso chamou atenção de uma voto dado ao item “Ritual Indígena” que foi colocado pela jurada de forma centesimal e, de acordo com regulamento deve ser decimal.  Por conta do equivoco da jurada, os dois bois levaram 10 no item.
No momento em que acontecia a contagem dos votos, as duas galeras Caprichoso e Garantido acompanhavam nas arquibancadas do bumbódromo o resultado.
A comissão do júri deste ano veio dos Estados do Ceará, Espírito Santo e Piauí onde foram escolhido profissionais de renome nos Estados.
Confira o resultado do Festival Folclórico de Parintins 2011
 Copiado do Site:www.amazonia.org.br


Proteja Seu Cão

A Leishmaniose visceral canina é uma doença grave que acomete vários mamíferos, transmitida por um protozoário que tem o nome científico de Leishmania chagasi (infantum). O seu principal transmissor (vetor) é um inseto (flebotomíneo), da espécie Lutzomyia longipalpis, também conhecido como “mosquito palha”. O contágio em cães e no homem ocorre através da picada do inseto infectado.
Ler mais em:www.wspabrasil.org

27.6.11

Manchetes de blogs interessantes

24.6.11

"São João, Xangô menino"

Manchetes de Blogs interessantes

São João

A festa é uma homenagem a São João Batista, primo de Jesus Cristo, nascido a 24 de junho. Ele era considerado um santo duro, inflexível, reservado e, às vezes, muito severo. Seu nascimento coincide com o solstício de verão (inverno na América do Sul) quando as populações do campo festejavam a proximidade das colheitas e, para afastar os demônios da esterilidade, pestes dos cereais e estiagens, faziam sacrifícios acendendo fogueiras.

Toda Europa conheceu esta tradição que, segundo a crença popular, deve-se a um pacto entre Nossa Senhora e Santa Isabel, mãe de João Batista. Delas, quem tivesse o primeiro filho acenderia uma fogueira à porta. Fazem parte, ainda, desta tradição as danças ao redor do fogo e os saltos sobre as chamas, todas as alegrias do convívio e de prenúncios de meses abundantes.

Ao contrário de outras festas religiosas como o Natal, por exemplo, onde as comidas típicas são quase todas importadas de países europeus (nozes, frutas cítricas etc.), a culinária de São João é essencialmente brasileira.

Hoje em dia, nas cidades que comemoram o São João, ainda mantém-se a tradição das quadrilhas (influência portuguesa dos corridinhos, uma dança típica cujos passos se assemelham à quadrilha), dos fogos (que não são só privilégio junino e sim de toda e qualquer manifestação de alegria dos povo) e das roupas juninas. Além disso, preservam, ainda, as brincadeiras como a cabra-cega, o quebra-pote e o pau-de-sebo, todos eles com grande participação da garotada.
Fonte:www.saojoaobahia.com.br


Crédito da imagem:Peterson T. Leivas

22.6.11

Manchetes de Blogs interessantes

21.6.11

O Arco-Íris do Google

Google coloca arco-íris em sua página para comemorar Orgulho Gay


O Google, maior e mais famosa empresa de buscas na internet do mundo, manteve a tradição de fazer uma homenagem ao mês do Orgulho Gay.

Quem fizer uma busca com a palavra Gay, verá um arco-íris aparecer na página de resultados.

Essa foi a maneira que o Google encontrou de apoiar a luta por igualdade dos GLBTs no mundo todo e de agradecer a preciosa colaboração dos seus funcionários e usuários Homossexuais.

Documentário Lixo Extraordinário

Painéis com cenas do documentário Lixo Extraordinário são expostos ao ar livre em Brasília


Da Agência Brasil
Brasília – As obras do artista plástico brasileiro Vik Muniz, reconhecido por suas experimentações com novas mídias e materiais inusitados, estão expostas em Brasília. Promovida pelo Ministério do Meio Ambiente, a exposição fica ao ar livre ao lado do Museu da República, na Esplanada dos Ministérios, até o dia 30 de junho.
Quem passar pelo local vai poder conferir painéis com sete cenas do filme Lixo Extraordinário, indicado na categoria de melhor documentário ao Oscar de 2011. As figuras gigantes retratadas por Vik são montadas com peças recolhidas do lixo e formam um grande quebra-cabeça que desperta a imaginação.
É uma arte contemporânea, que faz refletir sobre o consumo desregrado, em um país onde apenas 8% dos municípios, dos mais de 5 mil do país, têm coleta seletiva. “As pessoas jogam um papel no lixo e pensam que isso não tem valor, vai desaparecer. Na verdade, são bilhões e bilhões de reais jogado na lata de lixo todos os dias”, diz Vik Muniz.
O trabalho do artista viajou o mundo por meio do filme Lixo Extraordinário. O documentário retrata o trabalho de Muniz, o processo de fotografias das formas construídas e a relação do artista com os catadores do lixão do Jardim Gramacho, no município de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro.
Esses profissionais doaram ao artista os objetos usados nas figuras montadas que aparecem no filme e ajudaram, inclusive, na montagem. "O filme trouxe ao imaginário popular uma imagem diferente do catador, é uma classe profissional. A função dele é justamente fazer o que não fazemos em casa, separar o lixo", afirma Vik.
Para ele, a arte não é muito diferente da reciclagem. “Você está aproveitando elementos do dia a dia, coisas comuns que já perderam o valor para a nossa atenção e a arte valoriza, transforma, coloca significado, para que elas possam ser vistas novamente, para que possamos visitar a nossa própria ideia de existência. Afinal, o artista é um catador”, compara.
O artista plástico já trabalhou com ingredientes tão inusitados como ketchup, açúcar e calda de chocolate, gel para cabelo e outros. Sobre a reação do público, ele disse que contribui para aprimorar o trabalho. “O artista só faz metade do trabalho, a outra parte é feita por quem vê a obra.”
Além dos painéis com cenas do filme, também está em Brasília a exposição Vik Muniz em 3D, até o dia 14 de agosto, no Espaço Cultural Contemporâneo (Ecco). São mais de 60 obras em duas séries de momentos distintos de sua carreira: o início, chamado de Relicário, e a fase atual, chamada de Verso. Quem comparecer à exposição também vai ter a oportunidade de assistir ao documentário Lixo Extraordinário.
Edição: Lana Cristina
Fonte:agenciabrasil.ebc.com.br

Manchetes de Blogs interessantes

Maior evento de Skate do Brasil - Nescau Megarampa



Nos dias 2 e 3 de julho, o Sambódromo do Anhembi recebe a edição 2011 da Nescau Megarampa, maior evento de skate do Brasil. A rampa montada especialmente para o evento tem mais de 100 metros de extensão e quase 30 metros de altura - equivalente a um prédio de nove andares.
Os skatistas que percorrem a rampa podem chegar a uma velocidade de 75 quilômetros por hora. Para demais amantes de esporte, outras inúmeras atrações serão proporcionadas durante o evento.
Bob Burnquist, campeão das duas primeiras edições do evento, está confirmado, assim como os brasileiros Lincoln Ueda, Edgard Pereira, Pedro Barros, Rony Gomes, além dos estrangeiros Jake Brown, Rob Lorifice, AdamTaylor e Elliot Sloan.
Fonte:Site oficial de turismo da Cidade de São Paulo - www.cidadedesaopaulo.com
Serviço:
Nescau Mega Rampa
Local: Sambódromo
Endereço: Avenida Olavo Fontoura, 1.209, Anhembi Parque - Santana
Data: 2 e 3 de julho
Preço: Grátis mediante cadastro no site
Site: www.nescaumegarampa.com.br

20.6.11

Bob Marley - Is this love ( VERSION BOSSA NOVA )

Notícias - 20 de Junho de 2011

7h51
 Fonte:saraiva13.blogspot.com

18.6.11

A história de homens que precisam esconder sua orientação sexual

Tem início no sábado (18) um ciclo de debates que integra a exposição “Condenados – no meu país, minha sexualidade é um crime”, em cartaz na Caixa Cultural São Paulo.

O primeiro debate será no dia 18, às 17h, com o tema "Os Direitos Humanos e a homossexualidade no Brasil e no mundo" com participação de Gustavo Bernardes (coordenador-geral de Promoção dos Direitos LGBT da Secretaria de Direitos Humanos do Governo Federal) e Beatriz Bissio (fundadora das revistas Cadernos do Terceiro Mundo e Mercosul e da organização não-governamental Diálogos do Sul).

Já no dia 25, às 17h, a discussão abordará a "Saúde física e psíquica das minorias sexuais", com presença de Jacqueline Cortes (Oficial de Programa da UNAIDS no Brasil - United Nations Programme on HIV and AIDS) e Cristina Rauter (pscióloga e Oficial Clínica do Grupo Tortura Nunca Mais, Professora do Departamento de Psicologia da Universidade Federal Fluminense – UFF/RJ).

Trabalho de pesquisa do jornalista e fotógrafo francês Philippe Castetbon, a exposição "Condenados" conta com 49 autorretratos de homens – que não expõem seus rostos –, um depoimento pessoal e a lei de seu respectivo país em relação à orientação sexual.

Em cerca de 80 países do mundo, a homossexualidade é considerada crime, condenada expressamente em lei. Em alguns, como Irã e Mauritânia, a pena pode chegar à morte e, em dezenas de outros, prisão.

As inscrições para os debates podem ser feitas pelo telefone (11) 3321-4400.


Serviço:


Exposição “Condenados – no meu país, minha sexualidade é um crime”

Visitação: até 17 de julho de 2011, de terça-feira a domingo, das 9h às 21h.

Local: CAIXA Cultural São Paulo (Sé) - Praça da Sé, 111– Centro – São Paulo (SP)

Entrada: franca

Mais informações: http://www.dominiopublicoagencia.com/exposicaocondenados/

Fonte:www.brasildefato.com.br

17.6.11

Religiosos Contra Homofobia


Por Suzel Tunes
Após realização de debate sobre Religião e Homoafetividade, em Igreja Anglicana, religiosos organizam-se para participar da Parada Gay no próximo dia 26, unidos em torno do tema “O amor lança fora todo o medo”
A escolha de um texto bíblico para tema da Parada Gay deste ano – “Amai-vos uns aos outros” – não tem gerado apenas polêmica com lideranças religiosas. Em meio às fortes reações contrárias dos grupos mais conserva-dores, surgem surpreendentes iniciativas de diálogo e cooperação. No dia 9 de junho, um templo da Igreja Anglicana no centro de São Paulo, a Paróquia da Santíssima Trindade, foi o local escolhido para um painel sobre “Religião e Homoafetividade”.
Na mesa de debates estavam um padre católico, um pastor luterano e uma sacerdotisa do candomblé, sob a moderação de um membro da Igreja Metodista. Além do apoio da Igreja Anglicana, o evento contou com a coordenação da Rede Ecumênica de Juventude (Reju), da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (APOGLBT) e da organização ecumênica KOINONIA, que atua na defesa de direitos humanos. Os próprios organizadores da Parada Gay 2011 professam fé religiosa: o presidente Ideraldo Beltrame pertence à Igreja Anglicana e o vice-presidente, Fernando Quaresma, ao candomblé.
Painel Religião e Homoafetividade, realizado dia 09 de junho, na Paróquia Anglicana Santíssima Trindade
O metodista Anivaldo Padilha, fez as apresentações dos convidados lamentando a ausência de líderes religiosos contrários à temática da Parada Gay e à aprovação do Projeto de Lei 122, que torna crime a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero, equiparando-a à discriminação de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. “Convidamos pessoas para nos ajudar na reflexão. Fizemos um esforço para que a mesa fosse mais plural, mas alguns religiosos nem nos deram retorno”, disse ele.
Quem deu início ao debate foi a representante do candomblé, Mãe Maria Emília – ou, no idioma iorubá, como preferem os adeptos da religião, Iyá Maria Emília. Sacerdotisa da tradição Ketu, a ialorixá é presidente Associação Federativa da Cultura e Cultos Afro-Brasileiros de São Bernardo do Campo (SP) e coordenadora da Rede Nacional de Religiões Afro-brasileiras e Saúde – Núcleo SBC. Para ela, a identificação do candomblé com minorias marginalizadas da sociedade é uma natural consequência da própria história de discriminação vivida pelos adeptos dos cultos afro-brasileiros.
A sacerdotisa afirmou que a sexualidade é encarada de forma “tranquila” pela religião que entende o relacionamento sexual como uma positiva e necessária “troca de energia”: “energia tem que ser trocada, mas não determinamos como isso deve acontecer. Longe de nós dizer se esse ou aquele está correto”. Antes mesmo que o debate fosse aberto ao público, Maria Emília dispôs-se a responder a uma pergunta que ela afirma recorrente: “Por que no candomblé tem tanto homossexual?” Segundo a ialorixá, o candomblé é “uma religião que acolhe” os homossexuais, ao invés de repeli-los com um discurso moralista.
Mas para o teólogo católico James Alison, padre e autor do livro “Fé Além do Ressentimento: Fragmentos Católicos em Voz Gay”, não é só no candomblé que se vêem muitos sacerdotes homossexuais: “A proporção de gays no clero é muito maior do que na população em geral”, revelou ele. No âmbito católico, a diferença é que, enquanto o laicato parece estar “avançando bem em relação à matéria”, no clero impera o silêncio. Inglês de origem, Alison resumiu, em seu idioma natal, a forma pela qual a Igreja Católica lida com a questão: “don´t ask, don´t tell” (“não pergunte, não conte”).
Segundo o teólogo, a homossexualidade tem implicações em uma das doutrinas fundamentais do ensino católico: a relação entre a Graça de Deus e a natureza humana. Ele explicou que, segundo o catolicismo, a partir do “pecado original”, todos os seres humanos vivem de uma maneira “distorcida”, contrária ao propósito de Deus para seus filhos e filhas. No entanto, a natureza humana é, em si, algo bom que pode ser “aperfeiçoado” pela Graça divina. “A graça de Deus não age abolindo a natureza humana, mas levando-a ao seu “florescimento” ou aprimoramento de seu potencial. Enquanto a Igreja Católica simplesmente negava a existência da homossexualidade, considerando os atos homossexuais como distorções de comportamento provocadas pelo pecado original, a doutrina da Graça seguia sem abalos. Para ser reconhecido como um filho redimido, bastava que o homossexual contivesse seus impulsos. Hoje, no entanto, a situação mudou: “Não dá para separar os atos do ser como se fazia outrora. Homossexuais não são pessoas hetero defeituosas”, afirmou o padre. O que traz para a doutrina católica uma questão crucial: se a ação da graça divina parte daquilo que se é, de que maneira se daria o aprimoramento do homossexual rumo ao propósito divino de redenção da natureza humana?
“A gente passou muito tempo tentando justificar nossa mera existência”, confirmou o teólogo André S. Musskopf, membro da Igreja Evangélica de Confissão Luterana e pesquisador da temática de gênero e sexualidade. “Não preciso mais fazer isso porque sei que Deus me ama, a Bíblia me ajuda a ser melhor e tenho direito ao exercício da minha fé”, afirmou ele. André Musskopf disse, ainda, que muito já se escreveu na tentativa de “explicar” a homossexualidade e que ele evitaria argumentações baseadas em textos bíblicos. “Por exemplo, o livro de Levítico afirma que é ´abominação´ o homem deitar com outro homem. O mesmo livro também diz que não devo comer peixe sem escamas. Por que deitar com homem ainda é abominação e comer peixe sem escamas não é mais?”, questionou o teólogo. Para ele, a questão a ser realmente considerada é o controle que a ordem político-econômica exerce sobre a sexualidade e a religiosidade, o que explica a “virulência” cada vez maior das reações contrárias à conquista de direitos pelos homossexuais. “Estamos falando de controle de corpos para a manutenção de determinada estrutura de poder. Para se ter riqueza e poder, é preciso controlar os corpos das pessoas, controlar as formas pelas quais elas se amam, controlar o desejo. Não há como separar religião, sexo e política”, afirmou ele.
No momento do debate, Anivaldo Padilha voltou ao tema do poder simbólico. Para ele, a política é, de fato, a maior motivação do atual debate sobre homofobia. O Brasil estaria reproduzindo um fenômeno que já ocorreu nos Estados Unidos, com o apoio de religiosos fundamentalistas às plataformas políticas da direita. “A direita está perdendo sua capacidade de articular um discurso e busca um tema capaz de mobilizar a população. Por conta do forte moralismo existente no país, este é um tema fácil de ser manipulado”, alertou Anivaldo.
Preso e torturado nos anos 60, quando militava nos movimentos ecumênicos de juventude, por causa de uma denúncia feita por um bispo de sua própria Igreja, o metodista Anivaldo Padilha não abandonou nem a fé religiosa nem a militância social. Por isso hoje, tem sido um dos mais ativos incentivadores do apoio evangélico à luta dos homossexuais pela aprovação de leis que lhes garantam o pleno exercício da cidadania.
Ato Interreligioso. Memórias, laços e travessias: construindo compromissos de fé
Seguindo o tema “o amor lança fora todo o medo...”, religiosas(os) de distintas experiências de fé estiveram presentes, nesta última sexta-feira (10 de junho), no Ato Interreligioso na Paróquia Anglicana da Santíssima Trindade, em São Paulo. O evento - construído sob a organização de Koinonia, Rede Ecumênica da Juventude da Juventude (REJU), APOGLBT e Paróquia Anglicana – faz parte das atividades relacionadas ao mês do orgulho gay e procurou celebrar as conquistas e avanços das diferentes religiões em relação à homoafetividade.
 Ato Interreligioso celebrarou as conquistas e avanços das diferentes religiões em relação à homoafetividade
O centro da celebração foi ocupado por relatos de pessoas ligadas às religiões, revelando-nos como a fé/espiritualidade, em seu amor solidário, favoreceu a convivência fraterna, a auto-aceitação e o respeito em relação à homossexualidade. Celebramos o amor, “nas vozes do amor”. Próximo a este momento, celebramos “pelas memórias”, as histórias do movimento LGBT em relação à religião, e “pelos laços” que são construídos em comunidade a partir dos sonhos de justiça e paz. Ao fim, ligado às “travessias” que nos levaram até este encontro, nos lançamos “pelos compromissos” de caminhar por um mundo sem homofobia afirmando, numa Confissão de amor: “Cremos no amor que lança fora todo o medo. Cremos no amor que nos coloca face-a-face. Cremos no amor, sinal e espaço de nossa fé. Cremos no amor, assim, amando...”.
Por Daniel Souza (Reju-SP)
Participação de religios@s na 15ª Parada do Orgulho GLBT de São Paulo
KOINONIA – Presença Ecumênica e Serviço, juntamente com a Paróquia Anglicana da Santíssima Trindade, a Rede Ecumênica da Juventude (REJU) e a Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (APOGLBT) apoiam a luta dos homossexuais pela aprovação de leis que lhes garantam o pleno exercício da cidadania.
Para tanto, foram organizados os seguintes eventos:
Dia 23 de junho: Feira Cultural LGBT que acontece no Vale do Anhangabaú.
Dia 26 de junho: Caminhada de religiosos e religiosas unidos em torno do texto bíblico encontrado em 1 João 4.18: “o amor lança fora todo o medo”.
As pessoas interessadas em apoiar essa causa, poderão se inscrever pelo e -mail: eventos.sp@koinonia.org.br ou pelos telefones: 11-3667-9570 ou 3667-8161
As 200 (duzentas) primeiras inscrições receberão uma camiseta com o slogan da caminhada.
Sobre a Parada GLBT de São Paulo
A Parada do Orgulho GLBT acontece desde 1997 e a atualmente reúne mais de 3 milhões de pessoas na Avenida Paulista e Rua da Consolação, principais avenidas da cidade São Paulo. Há 15 anos a Parada dar visibilidade às categorias sócio-sexuais e fomenta a criação de políticas públicas para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Para isso, todo ano ocupa os espaços públicos para elevar a autoestima dos LGBT e sensibilizar a sociedade para o convívio com as diferenças. O tema deste ano da Parada GLBT, que acontecerá no dia 26 de julho é: “Amai-vos uns aos outros – basta de homofobia”.
Com informações do Programa Saúde & Direitos de KOINONIA
Autor: Márcia Evangelista