27.6.12

Por que os golfinhos conseguem se reconhecer no espelho? A resposta está nos genes


Osmairo Valverde da redação de Brasília / http://jornalciencia.com

Os golfinhos já nascem para serem espertos – e partilham muito de nossos genes da inteligência.

Um novo estudo sobre o genoma do golfinho demonstrou que esses mamíferos aquáticos compartilham diversos genes com nós, seres humanos.

A descoberta pode ser a chave para entender por que os golfinhos têm cérebros tão grandes. Eles podem se reconhecer no espelho e entender as ideias de zero, ou seja, ponto de partida, algo que era restrito apenas aos primatas como chimpanzés e humanos.
O cérebro do golfinho possui diferenças comparado com o dos primatas, especialmente em uma região chamada neocórtex, que é o local central para as funções mais elevadas, como o raciocínio e pensamento consciente.

Estima-se que há 95 milhões de anos os golfinhos possuíam o mesmo ancestral do ser humano, algo muito remoto e distante, quando comparado com outros animais.
No entanto, quando se trata de inteligência, comportamento social e comunicação, alguns pesquisadores dizem que eles são os animais que mais se aproximam dos humanos, além de macacos.

Nós estamos interessados no cérebro do golfinho em um ponto de vista molecular”, declarou Michael McGowen da Wayne State University School of Medicine, EUA, em declaração ao site LiveScience.

“Nós decidimos olhar para os genes do genoma de golfinhos para ver se há semelhanças entre o DNA que foi alterado na linhagem dos golfinhos e na linhagem dos primatas”.

Os pesquisadores descobriram 228 sequências de genes de golfinhos que tinham mudado sua relação gênica em comparação com vacas, cães, cavalos e seres humanos.

A pesquisa revelou que 1 em cada 10 genes afeta o sistema nervoso – e pode ser a chave para entender o poder mental dessas criaturas. “Era algo que estávamos esperando encontrar, uma vez que estudos têm mostrado que eles têm um cérebro grande e alta capacidade cognitiva”, diz McGowen.

Eles entendem conceitos como zero e conceitos abstratos. Eles fazem tudo que os chimpanzés e bonobos fazem”, disse Lori Marino, neurocientista da Emory University que se especializou em golfinhos, de acordo com o DailyMail.

Quando eles se reconhecem no espelho, mostram que possuem senso de identidade social. Eles não só sabe quem são, mas também possuem senso de qual é seu grupo social e quem são seus integrantes individualmente.

Os golfinhos interagem e compreendem a saúde e os sentimentos dos outros companheiros de grupo, assim como o ser humano.
Fonte:http://jornalciencia.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário