27.8.12

População mundial poderá ter de tornar-se quase vegetariana para lidar com a falta de alimentos


Em 2050 a água disponível para a produção de alimentos só será suficiente para garantir uma alimentação que inclua apenas 5% de calorias provenientes de alimentos de origem animal - cuja produção exige 10 vezes mais água do que a dos alimentos de origem vegetal - em vez dos 20% atuais.
O Instituto Internacional da Água de Estocolmo (Stockholm International Water Institute - SIWI) produziu um relatório sobre as tendências futuras no que toca a disponibilidade de água para a produção de alimentos e as suas consequências para a Humanidade num contexto de uma população em crescimento.

O documento intitulado “Alimentando um mundo sequioso: Desafios e oportunidades para um mundo seguro quanto à água e alimentos”, foi dado a conhecer pouco antes do início da Semana Mundial da Água em Estocolmo, um evento organizado pelo SIWI anualmente e cujo “tiro de partida” teve lugar ontem.

Os especialistas que elaboraram o relatório alertam que, à medida que a quantidade de água disponível para a produção de alimentos se tornar cada vez menor e a população humana continuar a crescer, uma das soluções para garantir que haverá alimento para todos passará pela alteração dos comportamentos alimentares.

Segundo os autores da análise agora dada a conhecer “Não existirá água suficientes nas atuais terras cultivadas para produzir alimento para a população estimada em 9 mil milhões em 2050, se se mantiverem as atuais tendências e alterações nas dietas para se tornarem cada vez mais semelhantes ao que é comum nas nações ocidentais”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário